O garoto que você deixou para trás


Aquele que já foi muito mais tímido e que só vivia viajando com a cabeça nas nuvens, que não se importava muito com as coisas e não sabia o que era ter ambições, que na verdade só queria estar contigo, ter seus olhares retribuidos e receber alguns sorrisos de volta de vez em quando, porque quando ele recebia um sorriso, principalmente o seu, ele ganhava o dia, um simples sorriso bastava para fazê-lo feliz.

Ele tinha muita bondade, inocência e doçura em seu olhar, todos enxergavam isso, menos você. Você não era capaz de vê-lo com as qualidades que ele possuía, ao invés disso o via com maldade, pensava e falava coisas horríveis a respeito dele e até inventava coisas que nunca aconteceram, tudo com o intuito de distorcer a pessoa que ele era.

Ele tentou, tentou inúmeras vezes se aproximar de ti, e o que você fazia? O maltratava todas as vezes de todas as formas, sem exceções, você investia todas as suas forças para afastá-lo, até que isso lentamente tinha começado a acontecer. Ele tinha se cansado, não queria admitir isso para si mesmo, mas ele ainda se importava contigo quando você não o dava a mínima e isso de alguma forma fez ele ficar distante da pessoa que ele era, pouco a pouco ele foi perdendo o brilho que tinha em seu olhar e até parou de sorrir. Você tinha conseguido, fez ele ficar longe de você e de quebra fez com que ele se tornasse uma pessoa triste. Você ficou feliz quando isso aconteceu? Vangloriaste quando viste aquele garoto triste por tua causa? E se por acaso tu tivesses a chance de voltar ao passado, teria feito de uma maneira diferente?

O tempo passou, ele cresceu, e hoje já não é mais aquela mesma pessoa de alguns poucos anos atrás. Ele nunca conversou com alguém sobre tudo o que aconteceu, sobre tudo pelo que você o fez passar porque ele soube como lidar com tudo sozinho, não sente raiva muito menos guarda rancor de você, talvez sinta um pouco de dó porque ele sabe o quanto você já foi uma pessoa triste e o quanto fazer os outros sentirem-se mal fazia você se sentir bem... Você continua assim até hoje? Ele nunca esteve a espera de um pedido de desculpas, até mesmo porque você não pode, de maneira alguma, mudar tudo aquilo que você fez e algo desse tipo não iria fazer muita diferença, mas também ele nunca esqueceu, não há como esquecer. De vez em quando ele recorda todos aqueles momentos e, olhando para os dias de hoje, ele pergunta a si mesmo se você alguma vez se arrependeu de ter feito o que fez.

Isso ele não sabe de certeza, e talvez nunca saberá, mas ele percebe o quanto a forma de como você olha para ele mudou, antes você o olhava com um olhar de ódio e desprezo, hoje você olha com aquele olhar distante, como o de alguém que perdeu o controle de determinada coisa e você realmente tinha perdido o controle, ultrapassado todos os limites, e para quê? O que você ganhou mesmo com tudo aquilo? Nada. Absolutamente nada. Disso ele sabe. Com aquilo você apenas demonstrou o quanto não iria valer a pena estar perto de alguém que não era capaz de ser agradável com quem não estivesse dentro de seus requisitos. Não tinha sido apenas o seu esforço, o modo como você se comportava diante das outras pessoas também ajudou em fazer ele não querer mais ficar perto de você. Nesse momento ele tinha começado a fugir de ti, ele não queria mais ficar nos mesmos lugares onde você estava porque ele sabia que você jamais iria perder a chance de maltratá-lo diante de alguma platéia.


Não é errado querer afastar alguém de você, afinal ninguém é obrigado a gostar de alguém, mas você errou a partir do momento em que você começou a machucar uma pessoa para chegar a esse objetivo.

* * *

Mesmo que seja com tom de brincadeira, o que falamos e fazemos pode e muitas vezes acaba ferindo os sentimentos dos outros. Muitas pessoas são muito mais sensíveis do que aparentam ser e quando elas têm os seus sentimentos machucados, umas podem reagir de um jeito simples como deixar para lá e seguir em frente e já outras não. Sempre devemos nos lembrar que ninguém é igual, o que pode fazer você rir pode arrancar lágrimas de outra pessoa, por isso devemos pensar bem e tomar muito mais cuidado com o que queremos falar ou fazer.


O novo álbum da Manu


Após muito tempo de espera, no dia 21/4 foi lançado o terceiro álbum de estúdio da Manu Gavassi, contendo 12 faixas inéditas incluindo o single Hipnose ‘Manu’ sucede o sucesso que foi o EP Vício lançado em 2015. Com uma pegada mais pop e sensual, Manu nos presenteia um álbum diferente, diferença essa já presente em seu EP que nos agrada muito. Manu disse que o seu público está crescendo junto com ela e esse álbum é sobre a transição desse tempo, a sua capa assim como o título reflete isso.


Diferente de seus antecessores ‘Manu Gavassi’ e ‘Clichê Adolescente’ onde havia aquela insegurança e dúvidas da adolescência, nesse álbum podemos ver uma Manu mais madura e dona de si própria como mostra o nu artístico que compõe a sua capa.
Capa do álbum 'Manu' (Foto: Reprodução/Internet)

Manu define esse novo álbum como se fosse o seu primeiro trabalho, uma espécie de recomeço. Ela participou de todas as suas etapas de produção e o resultado ficou excelente! Esse é o seu primeiro trabalho lançado pela Universal Music Brasil.


Eu gostei de todas as músicas mas a minha favorita e a que eu mais me identifiquei foi ‘Antes do Fim’...


🎵
[…] Um beijo em minhas costas é poesia
Me acostumei com você todo o dia
Achando graça do meu sotaque
Tem um pouco de você em toda parte
Tento esquecer, mas me engano
Não fazia parte dos meus planos
Querer você aqui, aqui...

Não era pra você ficar
Não era pra ser tão bom
Não era pra eu acordar te pedindo pra não ir
Então, se quiser pode ficar
Antes disso ter um fim
Só não olha mais assim pra mim
Não olha mais assim
Se não eu jogo tudo pro ar
Se não eu jogo tudo pro ar...


Não deixe de ouvir esse álbum pois ele está maravilhoso!


Não seja um porquê


Se tem algo que causou um grande alvoroço nessas últimas semanas foi a série 13 Reasons Why, uma adaptação para a Netflix do livro homônimo escrito por Jay Asher. Essa série teve como produtora executiva a nossa queridíssima Selena Gomez, e tanto ela quanto o livro, é sobre a história de Hannah Baker, uma garota que comete suicídio após alguns fatos que sucederam-se em sua vida.  Antes do suicídio, Hannah deixa sete fitas gravadas demonstrando para algumas pessoas que elas eram parte dos motivos que fizeram com quê ela colocasse fim em sua vida.

“Olá meninos e meninas. Quem fala aqui é Hannah Baker. Ao vivo e em estéreo. Sem promessas de retorno. Sem bis. E, desta vez, sem atender aos pedidos da plateia. Espero que vocês estejam prontos, porque vou contar aqui a história da minha vida. Mais especificamente, por que ela chegou ao fim. E, se estiver escutando essas fitas, você é um dos motivos.” – Fita 1: Lado A
Por mais que tenha relação com essa história e faça algumas menções à ela, esse post não será sobre o livro e nem sobre a série, mas sim sobre uma indecência e também sobre um problema que atinge várias pessoas de várias idades, classes e afins... Hoje vamos discorrer um pouco sobre fofoca, uma coisa que nem sempre parece ser inapropriada, pode ter várias formas e tamanhos e que na maioria das vezes ainda anda acompanhada com sua amiguinha mentira. Ela é como se fosse uma bola de neve no topo de uma montanha que conforme vai descendo vai ganhando enormes proporções até que no fim ela só atinge uma única pessoa, aquela de quem estavam falando.

Em 13RW, após ter dado o seu primeiro beijo as coisas mudam um pouco para Hannah, começam a haver rumores que indicam que o que aconteceu foi muito mais além de um simples beijo e isso agrega uma imagem negativa a ela. Mesmo esses rumores sendo falsos, as outras pessoas acreditam neles e passam a tratar Hannah de uma forma diferente, não pela pessoa que ela realmente é, mas sim pelo que ouviram sobre ela. Essa história ‘fictícia’ consegue refletir bem a realidade do mundo; se acontece algo ou se alguém faz alguma coisa, muitas pessoas têm a mania (se não o defeito) de distorcer os fatos e acrescentar o que muitas vezes não aconteceu.

Pessoas desse tipo adoram espalhar esses fatos distorcidos e cada vez mais que alguém vai contá-los, a história já é diferente porque cada um conta a sua versão, sem se preocupar com a pessoa de quem estão falando. Poucos são aqueles que param e pensam sobre a veracidade desses fatos antes de passá-los a diante, muitas vezes eles nem imaginam como a pessoa que está sendo exposta poderá reagir quando souber o que andam falando sobre ela ou no impacto que isso terá em sua vida. Há quem diga que não se importa com esse tipo de coisa e que isso não lhe afeta, mas isso nem sempre é verdade. Algumas pessoas são mais sensíveis (psicologicamente) do que outras e quando descobrem que andam falando certas coisas a seu respeito, enchem a própria mente de pensamentos ruins... Entre esses pensamentos, na maioria dos casos, está a depressão e juntamente com ela a ideia de suicídio que para muitos parece e acaba sendo a única saída.

Quem é assim, passando ou não por uma situação como essa, deve contar com o apoio de outras pessoas, sendo essas da família, amigos e até mesmo desconhecidos para poder superar isso, pois essa pessoa não está sozinha. Cada um deve ponderar antes de falar para não ferir os sentimentos dos outros porque muitas vezes uma única palavra pode doer mais do que um murro, cada um deve refletir sobre seus atos, suas ações e em como essas podem afetar a vida das outras pessoas. 

Hoje não é difícil ficar sabendo de alguma fofoca, seja em casa, na escola, no ambiente de trabalho... Mas isso não significa que ela deve ser repassada para frente, porque assim como eu disse, ela muitas vezes anda acompanhada da mentira, e a própria ação de fofocar não é uma coisa digna a se fazer. Espalhar inverdades sobre alguém pode ser caracterizado como calúnia o que é crime, dizer algo sobre uma pessoa que possa 'manchar' a sua reputação é difamação que é um crime, atribuir alguém a uma qualidade negativa, sendo verdade ou não, é injúria, o que também é um crime. Então a melhor coisa a se fazer é tomar muito cuidado com a fofoca.

Se por acaso algum dia caro leitor, você ficar sabendo de alguma fofoca sobre alguém, sendo ela verdadeira ou não, não a compartilhe, não faça com que ela seja passada para a frente, pense e coloque-se no lugar da pessoa de quem estão falando, não seja um porquê da vida de alguém, isso não é legal. Não queremos que algo parecido com a história da personagem aconteça com alguém aqui na vida real. Muitas pessoas falam que alguém que interrompe a sua própria vida só estava afim de “chamar a atenção”... Será que essas pessoas sabem o que estava se passando na vida desse alguém? O que esse alguém pensava? Será que esse alguém não tentou pedir ajuda? ... O suicídio existe e precisa muito ser discutido, seus indicadores estão elevadíssimos.

Alguns sinais que ajudam a identificar um comportamento suicida:
  • Frases do tipo: “Eu só queria sumir”, “não aguento mais”, “não dá mais” são um grande sinal de alerta, alguém que diz isso está precisando de ajuda;
  • Depressão: Uma pessoa depressiva é mais vulnerável e merece maior atenção, e se ela consome bebidas alcoólicas e/ou faz o uso de drogas merece mais atenção ainda;
  • Falar sobre suicídio: Falar sobre isso pode ser um pedido de ajuda;
  • Mudanças repentinas: Uma pessoa que era de bem com a vida de repente muda e fica desinteressada de tudo, muda de aparência e até passa a se comportar de uma maneira diferente;
  • Mudanças de humor: A pessoa está aparentemente bem e logo em seguida fica triste, retraída, isolada;

Conversando com uma pessoa que apresente qualquer um desses sinais você já estará ajudando, muitas vezes uma pessoa assim só precisa ser ouvida.  Não deixe ela ficar sozinha, tente ao máximo tirá-la de sua zona de conforto e não hesite em procurar uma ajuda profissional. 
O Centro de Valorização da Vida (CVV) através do trabalho prestado por voluntários oferece apoio emocional gratuitamente para pessoas que precisam conversar sobre suas​ vidas funcionando assim como uma forma de prevenção ao suicídio.

O suicídio não é brincadeira, ele é um problema social real que infelizmente não recebe devida atenção atualmente. Eu não creio que 13 Reasons Why 'sirva' para influenciar outras pessoas a cometerem esse ato mas sim como um sinal de alerta para algo que está acontecendo todas as horas todos os dias em muitos lugares. Não deixe de ler o livro ou assistir a série, pois os mesmos demonstram fielmente como é a trajetória de uma pessoa que passa por esse problema.

Capa do livro 'Os 13 Porquês' (Foto: Reprodução)


Lidando com o medo


Como eu já havia dito antes na última postagem, não estou com muito tempo, ele está muito corrido para mim e consequentemente por causa disso o blog encontra-se meio abandonado. Hoje resolvi aproveitar o meu tempinho livre para escrever sobre um assunto que eu já queria ter escrito a mais tempo sobre ele, mas justamente por causa do mesmo eu não o fiz. Resolvi escrever depois de uma bem longa e profunda reflexão... E o tema do post de hoje será o medo.

Quem nunca teve algum medo na sua vida? Eu mesmo já tive vários e ainda continuo tendo alguns. Lembro que quando ainda era pequeno eu morria de medo do escuro, não conseguia dormir em um ambiente escuro, eu imaginava que ali dentro dele havia algo pronto para saltar em cima de mim, a paranóia era grande de mais. Hoje isso é diferente, não é que eu goste de ficar no escuro, mas medo dele eu já não tenho mais, hoje eu consigo dormir melhor em um ambiente sem nenhuma fonte de luz do que em um iluminado. Para muitos isso pode não significar absolutamente nada, mas para mim significa muito pois isso era algo que me atrasava e eu consegui deixá-lo para trás.

Nossos medos muitas vezes são criações da nossa própria mente: eles consomem toda a nossa imaginação e quando não tem nada mais nela que possam consumir eles passam a consumir nós mesmos. Isso é um tanto dilacerante como também é uma ótima oportunidade para o surgimento de outras coisas ruins e até mesmo de outros medos... Mas sabe quando você se dispõe a enfrentá-los? Tudo começa a mudar, você consegue enxergar que nem tudo era aquilo que você imaginava. De nada adianta nos escondermos dos nossos medos, pois quanto mais fazemos isso mais eles vão nos perseguir e vai chegar um momento em que eles conseguirão nos encontrar.

A única maneira de se livrar de um medo é encarando ele de frente sem temê-lo. Lembre que ele está na sua mente e não é uma coisa real que você possa ver ou tocar, você é quem deve está no controle da situação e deve se manter firme para não perdê-lo. Existem alguns medos (alguns que a gente possa ter) que para algumas pessoas possam parecer ‘bobagem’, mas eu digo para essas pessoas que não é porque elas acham que o medo seja pequeno ou bobo que elas estão no direito e devem zoar com a cara de quem tem ele, isso é algo muito ruim, quem é assim deve olhar primeiro para si mesmo antes de apontar o dedo para o outro... Será que pessoas desse jeito não têm medo algum em suas vidas? Sem falar também naqueles que empurram as pessoas para cima de seus medos achando que estão ajudando, sendo que não é bem assim que funciona. Se você conhece alguém que sofra de algum medo, não tente-o ajudar dessa maneira, cada um tem o seu tempo e modo de agir, e mesmo que você queira ajudar, você pode fazer isso dando apoio e conversando com essa pessoa.

Medo é uma palavra tão pequena e simples, que pode causar enormes estragos na vida de várias pessoas. Eu não o vejo em si como uma coisa boa, mas afirmo que ele existe porque deve ser superado. Quando essa superação ocorre é como se a pessoa conseguisse desvencilhar-se de suas próprias amarras e despertasse para um novo começo, uma nova forma de vida. Quando decidi voltar para a blogosfera como ‘eu mesmo' eu consegui superar um fantasma interno que eu tinha, eu não sabia como lidar com críticas, e hoje eu sei. Quando comecei a escrever esse texto, já fui dizendo que já era para mim ter escrito ele a mais tempo, porém ainda não tinha escrito por causa do medo mesmo, eu temia o que as pessoas pudessem achar e juro que na minha cabeça havia uma vozinha que dizia: -o que as pessoas vão achar? -o que é que você sabe!? ... Sabe o que eu fiz? Mandei essa voz bem para longe e cá estou eu escrevendo o que quero da forma que eu quero, e é isso que eu quero deixar bem claro. Quantas vezes não deixamos de fazer algo que gostamos ou até mesmo de nos expressarmos por causa de medo, julgamentos ou opiniões alheias? Isso só atrasa a nossa vida. Se você tem algum medo, você deve ser forte o suficiente para encará-lo e enfrentá-lo sem temê-lo de forma alguma, nunca se intimide e nem abaixe a sua cabeça, pois somente assim você conseguirá se livrar dele.


Você tem algum medo?  Já conseguiu superou algum?
Não esqueça de deixar o seu comentário, ele é muito importante :)


Sonhos


Ultimamente eu não estou tendo muito tempo, por isso o blog anda desatualizado. Mas enfim, no post de hoje eu vou estar falando um pouco sobre mim, porque eu nunca falei muito de mim mesmo aqui, e também sobre sonhos, algo que eu considero muito importante. Inúmeras são as vezes que eu me pego em devaneios durante o meu dia. Sonhar faz com que eu consiga por um instante (mais breve que seja) me desligar desse mundo, isso me faz bem e de alguma forma me dar forças para seguir em frente.

Bem, eu me chamo Ruan Lucas, tenho 19 anos e atualmente estou morando em São João dos Patos, uma pacata cidade do leste maranhense. Desde sempre gostei de sonhar, planejar, imaginar, eu gosto até de ouvir os sonhos e planos das outras pessoas. Usar a imaginação para se ter uma visão do futuro é algo essencial para mim, eu amo isso. Ano passado conclui o ensino médio e lembro muito bem como era enquanto eu ainda estava no segundo ano, muitas pessoas perguntavam: “-O que você vai fazer da sua vida?”, “-Qual vai ser sua carreira?”, “-Qual rumo você pretende seguir?”... Eu me sentia pressionado quando alguém me fazia esse tipo de pergunta porque eu ainda não sabia o que eu queria para mim mesmo, e não vou mentir, muitas dessas pessoas que perguntavam isso eram pessoas curiosas e bisbilhoteiras que não tinham nada a ver com a minha vida. Ninguém da minha família nunca me perguntou o que eu queria fazer e também nunca disseram: “-Siga essa profissão!”.  Eles sempre confiaram em mim e sabiam que o que eu escolhesse para a minha vida seria algo que me agradasse e me deixasse feliz. Eu creio que essa escolha cada um deve fazer de acordo consigo mesmo.

Nada me agradava, eu não conseguia enxergar um lugar onde eu pudesse me encaixar, até que um dia eu pensei em uma profissão que nunca tinha me passado pela cabeça: advocacia. Advocacia?  Será mesmo? Refleti muito, fiz pesquisas e testes vocacionais, e realmente, é isso mesmo. Essa profissão tem muito a ver comigo e isso me agrada muito. Muita gente já disse que eu daria um ótimo advogado (risos). Agora sabe quando você sente lá no seu íntimo: “-Eu fui feito para isso!” ? Pois bem, se tem algo que eu sempre gostei de fazer nessa vida foi atuar. Comecei a atuar cedo, não nos palcos de teatros, mas sim no palco da vida. Minha primeira atuação foi algo assim bastante revelador para mim mesmo, lembro que quando terminei eu tinha gostado muito de ter participado daquele momento. Porém não vou entrar em detalhes.

Junto com a escola veio as peças teatrais. Enfiar as mãos em roteiros, ensaios, cenários era a minha paixão. Já atuei em algumas dessas peças, inclusive em uma filmagem muito malsucedida. Até onde eu sei as cenas dela não foram parar na internet (risos). Eu desejo e quero muito fazer um curso de teatro, aparecer na telinha, porém na minha região infelizmente, oportunidades para esse tipo de carreira são inexistentes, isso me deixa frustrado. “Quem sabe um dia...”

Como o meu sonho de atuar, por enquanto, está para a posteridade e como eu não tenho como bancar uma faculdade de direito, fiz o ENEM no ano passado com o intuito de conseguir uma vaga em uma universidade pública. Acessei o SISU e coloquei na primeira opção Direito em uma outra cidade próxima daqui (aqui não tem esse curso) e só para ‘preencher’ a segunda opção, coloquei Administração aqui mesmo na minha cidade. Eu não consegui uma vaga para cursar direito mas consegui uma para administração. Nunca tinha passado pela minha cabeça, cursar administração, mas mesmo assim, fiz a minha matrícula e estou gostando do curso.

Eu não desisti de cursar direito e nem desisti do meu sonho de ser ator. Eu queria sim, está fazendo um desses cursos agora, porém a vida ainda não concordou comigo. Sonhos são importantes e nunca devem ser esquecidos por aí, cada um deles têm um grande valor e uma grande importância na nossa vida. Muitas pessoas já disseram (com maldade e intuito de me colocar para baixo) que esses meus sonhos são muitos difíceis, que eu tenho que enfrentar coisas nem sempre tão boas para alcançá-los... Será que eu não sei disso? Eu sei o tamanho, a importância e a intensidade que os meus sonhos possuem e luto dia após dia para que chegue o dia em que eu possa realizar cada um deles. Nunca dê ouvidos a essas pessoas que só vivem colocando dificuldades, pois elas só querem desanimar você até fazer você desistir. Lembre-se que cada um de nós temos a capacidade de alcançar os nossos objetivos, então não tenha medo de sonhar. Que graça a vida teria se os sonhos não existissem?


“Se podemos sonhar, também podemos tornar nossos sonhos realidade.” Walt Disney

Quais são os seus sonhos?


Lidando com términos


Na última postagem aqui do blog, eu falei sobre relacionamentos e também iria dissertar sobre términos, sobre o fim... Mas como um é uma coisa e o outro é outra diferente, eu decidi escrever um novo post falando sobre o fim de relacionamentos. Não estou escrevendo frequentemente aqui no blog por falta de tempo, ele está mais corrido do que nunca para mim... “Ninguém nunca disse que seria fácil, mas também nunca disseram que seria tão difícil.”

Como é bom, na verdade é ótimo ter alguém ao seu lado e poder chamar de seu. Alguém que te complete, que te ame, que te ajude e passe aquela sensação de conforto e que você tem um porto seguro. Alguém em quem você possa depositar sua confiança, que possa si abrir e contar os seus segredos sem temer algum julgamento... Mas como nem tudo são flores, relacionamentos (até mesmo aqueles mais firmes e duradouros) acabam. Acabam porque chega um certo ponto em que algo muda, vai ficando insustentável, e a partir desse momento nada mais é como antes.

Muita gente acha estranho quando duas pessoas se conhecem a tão pouco tempo e mesmo assim já estão juntas. Talvez elas pensam que esse amor seja “fraco” ou até mesmo que ele não existe, claro que existe pessoas interesseiras(o que não vem ao caso nesse momento...) Mas tenha certeza: é possível sim, amar alguém profundamente em curto período de tempo. Deixando de lado o tempo que você passou com determinada pessoa, se você gostou ou ainda gosta dela, quando esse relacionamento chega ao fim, só resta aquela imensa sensação de vazio, e isso é horrível.

Há quem diz e afirma que a dor de um amor só é curada com um novo amor. Eu particularmente não concordo muito com essa “afirmação” porque você pode até encontrar um outro alguém rapidamente, mas ainda estará com a outra pessoa na cabeça, você ainda lembrará dela enquanto estiver com seu novo amor, e isso não fará muito bem para esse novo relacionamento. Você deve primeiro si resolver, usar o tempo que for necessário para superar os obstáculos para que a partir daí você possa seguir em frente com um novo relacionamento.

Se você ver seu/sua ex-parceiro(a) já andando por aí de mãos dadas com alguém, não tenha raiva, sinta inveja ou fique triste... Cada um tem a sua maneira (muitas vezes peculiar) de agir enquanto está na fossa (risos). Uns gostam de ficar em casa assistindo filmes com um enorme pote de sorvete ou um pedaço generoso de chocolate – eu sou desses rs, outros já partem logo para outra e assim por diante... Cada um sabe o seu jeito de lidar em uma situação dessas. Quero deixar bem claro que quem passar por isso não deve encarar essa situação como algo terrível, o fim do mundo! Como eu já disse antes, use o tempo que for necessário para superar isso, quem sabe esse fim não seja o início de um belo começo? Você pode até se beneficiar disso, pode ver que a felicidade está onde você quer que ela esteja e que nem sempre será preciso está com alguém ao seu lado para ser feliz :D

“Relacionamento é bom, mas não é para todo mundo.”

Você já sofreu com o fim de algum relacionamento? Conte-me como foi! Não esqueça de deixar o seu comentário, pois ele é muito importante ;)

⬇ Me acompanhe nas redes sociais ⬇

Lidando com Relacionamentos


Não é raro para quem convive com outras  pessoas, passar por alguns momentos difíceis ou então por aquelas famosas ‘fases’. A relação com determinadas pessoas pode se tornar um pouco difícil, por exemplo, por causa de uma divergência de ideias, por interesses distintos ou até mesmo pela falta de diálogo. Por isso no post de hoje vamos falar um pouco sobre alguns relacionamentos.

No começo de todo namoro – naturalmente – tudo é uma maravilha, tem aquele negócio de um querer agradar e impressionar o outro, é amor para lá amor pra cá, carícias e apelidinhos fofos. De repente o tempo passa e as coisas simplesmente desandam! Mas sabe por quê? Muitas pessoas têm a mania de já quererem namorar com alguém antes mesmo de conhecê-lo bem. Talvez o que essa saiba sobre a outra seja apenas o que as pessoas falam ou o que ela mesma imagina. Outra coisa que muita gente, mais muita gente MESMO leva em consideração é a aparência. Não são poucos os que se deixam levar por um rostinho bonito e esquecem que nem tudo é realmente o que aparenta ser.

Alguns relacionamentos não dão certo, muitas vezes, porque as pessoas que estão nele só estão porque estão mesmo, não é aquela coisa recíproca. Um pode nem estar gostando mesmo do outro, mas por algum motivo não quer permanecer longe. Tem aqueles que só estão com alguém por medo de ficarem sozinhos consigo mesmo; esses sempre acabam se auto iludindo e iludindo também a outra pessoa, fazendo-a pensar que está em um relacionamento (talvez ótimo) quando esse relacionamento, na  verdade, nem existe. A pessoa que só está com outra por medo de ficar sozinha, não vai ser feliz e nem vai conseguir fazer alguém feliz por muito tempo.

Com certeza essa pessoa já pensou em colocar um ponto final nisso, mas talvez ainda não o tenha feito por medo de ferir os sentimentos de seu/sua parceiro/parceira, sendo que essa prolongação só irá piorar as coisas. Antes de estar em um relacionamento, todos devem ter, acima de tudo, amor próprio. Alguns podem até pensar que é fácil para mim dizer para alguém que ela ou ele deve ter amor próprio... Eu sei o quanto isso pode ser difícil, mas como alguém vai amar outra pessoa se esse alguém não ama nem a si mesmo? Com esforço e dedicação, o amor próprio vai florescendo, tudo vai mudando e melhorando. É só uma questão de tempo. Ame-se!

Nem todo relacionamento está fadado ao fracasso, muitos ainda têm jeito. Uma das piores coisas que contribui muito para o fim de várias relações é a falta de diálogo/comunicação: você gosta da pessoa, está ali com ela mas vocês simplesmente não têm conteúdo para conversar, ou vocês só se beijam ou ficam se encarando. Esse gelo precisa ser quebrado, ninguém brinca de gostar ou não de alguém, ou você gosta mesmo ou então deixa para lá. Em toda boa relação existe diálogo. Se estão sem assunto, que tal falar sobre as coisas que dois têm em comum?

Há casos de casais que só vivem brigando, discutindo... Isso não leva a lugar algum. Se um gosta do outro e nessa relação exista reciprocidade, eles devem ter uma boa conversa para resolver tudo. As coisas podem e são resolvidas na base do diálogo. Se eles têm um ponto de vista diferente, ambos devem se esforçarem para conviverem com isso, ninguém pensa igual, não é porque uma pessoa tem uma opinião diferente da minha que a dela esteja errada.

Tem aquelas pessoas que se gostam muito e estão juntas, porém entre elas não há aquela ligação, não existe aquela ‘animação’... O que acontece é: as vezes muita gente confunde uma grande afinidade por alguém como paixão e isso pode vim a ser bilateral. Geralmente pessoas assim são grandes amigos, qualquer coisa que venha acontecer fora dessa atmosfera da amizade pode parecer estranho. Há também pessoas que já estão juntas à algum tempo mas mesmo assim nunca se entenderam... Quem nunca ouviu aquele ditado “Os opostos se atraem”? Sim... Os opostos se atraem, mas lá na Física. Aqui a coisa é um pouco diferente, nem todos os opostos iram se atraí. Essa incompatibilidade nem sempre resultará em uma coisa boa; a melhor coisa a ser feita em um caso desses é terminar, para que cada um consiga seguir o seu caminho.

E você? Gostou do post de hoje? Já teve alguma experiência parecida? Não esqueça de deixar o seu comentário pois ele é muito importante! :D